Capítulo I – O tempo e o clima

Calor, frio, vento, chuva, são, entre outros, os elementos que formam o
tempo e o clima.
Mas o que é tempo e o que é clima?
Tempo e Clima
Tempo e Clima são  o  comportamento  da atmosfera, influenciados  pelas
massas de ar que geram os fenômenos atmosféricos, como  chuva,  granizo, garoa,
neve, neblina, nevoeiro, smog, orvalho, cerração, vento, ciclone, furacão,
tornado, massas de ar quente e frio, raios, trovões, nuvens, etc. Massa de ar é
um grande volume de ar,cobrindo uma superfície de centenas de quilômetros
quadrados,com características homogêneas(oceanos, grandes florestas,
desertos,etc.), onde permanecem por longo tempo. As massas de ar podem ficar
estacionadas, em determinado local, por dias e até semanas., mas quando se
movem, provocam alteração no tempo havendo choques entre massas de ar quente e
frio: enquanto uma avança, a outra recua.O encontro entre duas massas de ar
de temperaturas diferentes dá origem a uma frente, ou seja, a uma área de
transição entre duas massas de ar, que pode ser fria ou quente.
Uma frente
fria ocorre quando uma massa de ar frio encontra e empurra uma massa de ar
quente, ocasionando nevoeiro, chuva e queda de temperatura, enquanto uma frente
quente ocorre quando uma massa de ar quente encontra uma massa de ar frio que
estava estacionada sobre uma região, provocando aumento da
temperatura.
Quando uma massa de ar se desloca sobre uma superfície mais fria
do que ela, é chamada uma massa de ar quente, porque sua temperatura é mais
quente que a  da superfície e a esquenta, então, no inverno as massas de ar que
se formam são quentes, porque a superfície da Terra é fria.
Se a superfície
está mais quente do que ela, é chamada uma massa de ar frio, porque sua
temperatura é mais fria que a da  superfície e a resfria, então  no verão as
massas de ar são frias, porque a superfície da Terra é quente.
As massas de
ar frias (que acontecem no verão) são mais instáveis,  apresentam boa
visibilidade e ocasionam  formação de trovoadas; enquanto as massas de ar
quentes (que acontecem no inverno) são mais estáveis, têm uma visibilidade mais
restrita e favorem a formação de neblinas e nevoeiros.
Os elementos que formam o tempo e o clima
são:
CHUVA- é  a precipitação atmosférica
formada de gotas de água cujas dimensões variam entre 1 e 3 mm, por efeito da
condensação do vapor de água contido na atmosfera.
GRANIZO- é um  tipo de
precipitação atmosférica na qual as gotas de água se congelam ao atravessar uma
camada de ar frio, caindo sob a forma de  pedaços de gelo, formando a saraiva ou
chuva de pedra.
GAROA-é a chuva constituída de gotículas com diâmetro
inferior a 0,5 mm que caem muito próximas umas das outras, o que resulta em
diminuição da visibilidade.
NEBLINA-é uma nuvem em contato ou próxima do
solo. É formada quando há a condensa-ção da água evaporada de encontro com a
superfície.
NEVOEIRO  ou névoa é uma nuvem  cuja base está no solo ou perto
dele e reduz a visibilidade a menos de 1000 metros.
SMOG-   é uma nuvem
misturada  com poluição (que lhe dá um tom amarelado) que se forma quando se dá
uma inversão climatérica  e a atmosfera fica estável e o ar frio e poluído não
pode se  elevar, ficando “preso” perto da superfície da Terra.
ORVALHO- é um
tipo de precipitação atmosférica em que o vapor de água se condensa e se
deposita durante a noite formando  gotículas muito finas  sobre a vegetação de
certos corpos expostos ao ar livre.
Também pode ser chamada de ROCIO
.
CERRAÇÃO-é  a falta de visibilidade causada por nevoeiro denso  ou
acumulação de nuvens.
NEVE-é a precipitação de cristais de gelo, em geral de
forma hexagonal e intricadamente ramificados,  por Vezes aglomerados em flocos,
formados diretamente pelo congelamento do vapor de água que se encontra em
suspensão no ar atmosférico.
VENTO-é o  ar em movimento, fenômeno ocasionado
sobretudo pelas diferenças de temperatura  nas várias regiões atmosféricas.

CICLONE-é  uma tempestade violenta produzida por grandes massas de ar
animadas por grande velocidade.
FURACÃO-é um  ciclone  que se forma nas
regiões do Atlântico Norte, do mar do Caribe, do golfo do México e na costa
nordeste da Austrália, quando a velocidade dos ventos pode atingir até 300km/h:

TORNADO-é um  fenômeno que se manifesta pela formação de grande nuvem negra
com prolongamento em forma de cone invertido, o qual, torneando em velocidades
que podem atingir 500km/h, desce até à superfície da Terra, onde produz forte
redemoinho e eleva pó, destelha casas, arranca árvores, etc.
RAIO- é  a luz
que emana de um foco luminoso e segue uma trajetória reta em determinada
direção:
TROVÃO- é  o  estrondo causado por descarga de eletricidade
atmosférica; trovoada.
NUVEM-é um conjunto  de partículas de água ou de
gelo,  em suspensão na atmosfera.
As nuvens apresentam diversas formas,
que variam dependendo essencialmente da natureza, dimensão, número e
distribuição espacial das partículas que a constituem e das correntes de ventos
atmosféricos.
A forma e cor da nuvem dependem  da intensidade e da cor da
luz que a nuvem recebe, da fonte de luz (sol, lua, raios) e da posição em que
está o observador  em relação à nuvem.

Os tipos de  nuvens são:
CIRRUS
CUMULUS
CIRROCUMULUS
AUTOCUMULUS
CUMULIMBOS
STRATUS
CIRROSTRATUS
NIMBOSTRATUS
STRATOCUMULUS
ALTOSTRATUS
Agora que já conhecemos os fenômenos atmosféricos, que constituem o clima e o
tempo, vamos entender o que é tempo e o que é clima.
Tempo
Tempo
é o estado da atmosfera em determinado momento e lugar, é algo passageiro, é a
forma como o ar está naquele momento.
Se dizemos que o dia está quente,
estamos nos referindo ao tempo naquele momento e lugar; se chove em um
determinado momento nós dizemos que o tempo está chuvoso.
O tempo  é o
fenômeno atmosférico que pode mudar de um dia para o outro, ou mesmo de uma hora
para outra.
O tempo é o elemento que forma o
clima.
Clima
Clima é o estado da atmosfera em determinado  lugar,
periodicamente, não é algo passageiro, é a forma como o ar se comporta em
determinado lugar, em determinado período.
Se dizemos que o Nordeste  é
quente, estamos nos referindo ao clima naquele  lugar; se chove sempre  em um
determinado lugar nós dizemos que o clima é chuvoso.
Clima é  o
comportamento da atmosfera ao longo do ano, em determinado lugar da superfície
da Terra, que se repete todos os anos da mesma forma.
Devemos saber, com
certeza que Tempo não pode ser confundido com Clima.
Por exemplo: se dizemos
que o dia ontem estava quente, estamos nos referindo ao tempo, mas, se dissermos
que na Amazônia o tempo é quente e úmido o ano inteiro, estamos nos referindo ao
clima da região.
O tempo, portanto, é algo passageiro, é como o ar está
naquele  momento e o clima é algo que se repete  periodicamente (de tempos em
tempos), sempre da mesma forma, em determinado lugar.
Meteorologia
Previsão do Tempo!
Você escuta isto todos os dias na
televisão:  “A Previsão do Tempo”  para hoje, mas o que é isto. É a informação
de como está o tempo hoje em um determinado lugar. Você vai saber se vai chover,
se vai  fazer frio ou calor, em uma cidade, estado ou país. Previsão do tempo é
a previsão dos fenômenos meteorológicos que ocorrerão em um determinado lugar em
um tempo entre um e quinze dias. A previsão do tempo é feita para cada lugar,
porque quando chove em uma cidade, pode não chover em outra. Exemplificando:
Previsão do tempo, hoje, para Bebedouro: chuva forte e calor.
Previsão do tempo, hoje, para Ribeirão Preto: tempo seco e
calor.
Previsão do clima!
A previsão do clima é a previsão dos fenômenos meteorológicos que
ocorrerão em um determinado lugar, em uma determinada época futura, como a
próxima primavera, o próximo ano, etc. Exemplificando: Previsão do tempo para o
verão, em São Paulo: Clima quente, com poucas chuvas e
umidade relativa.
Previsão do tempo para o verão, no
Paraná: Clima quente, sujeito a   chuvas fortes e
úmido.
Mas como é possível saber estas coisas, se elas ainda vão acontecer?
Podemos saber graças a uma ciência chamada Meteorologia, que estuda a previsão
do tempo e do clima.
Que calor! Que frio! Quando usamos estas
expressões, estamos nos referindo á temperatura do ar atmosférico, ao
aquecimento do solo pelos raios solares, que se reflete sobre o ar. O Sol aquece
o solo e este calor volta para a atmosfera. Nós sentimos se está frio ou calor,
mas para nós sabermos quanto está frio ou quente, precisamos de um aparelho para
medir a temperatura do ar, da mesma forma que nós medimos a temperatura do
corpo. O aparelho que usamos para medir a temperatura do ar se chama termômetro,
semelhante ao  termômetro que usamos para medir nossa febre (temperatura do
nosso corpo).
A temperatura do ar e do nosso corpo são expressas em graus, calculadas de duas
formas, pelo método Celsius ou pelo método Fahrenheit. A diferença entre estas
duas formas de medir a temperatura está na escala, o aparelho é o mesmo. A
escala de temperatura Celsius (nome de seu criador) tem como  0  grau o ponto de
congelamento e 100 graus o ponto de ebulição. Esta escala tembém é chamada de
centigrados, porque a escala vai de 0 a 100. A escala de temperatura Fahrenheit
(nome de seu criador) tem 32 graus como ponto de congelamento e 212 graus o
ponto de ebulição, portanto começa com 32 graus acima do método Celsius. Esta
escala foi criada devido às baixas temperaturas dos países do norte da Europa,
sendo necessário uma escala prévia para medir à temperaturas baixissimas. A
escala Fahrenhit é mais comumente usada nos países do hemisfério norte, mas a
escala Celsius é a mais comum. Para facilitar a comunicação entre as duas
escalas, criou-se uma fórmula para conversão de uma para outra.
Converter grau  Celsius para  grau
Fahrenheit:
Valor do grau Celsius X 1,8 (diferença de uma escala para
outra) + 32 (ponto de congelamento da da água na escala Fahrenheit). Exemplo:
Suponhamos que a temperatura de um lugar seja de 30 graus Celsius. Para saber
qual a temperatura em graus Fahrenheit  usa-se a seguinte fórmula: 30 x 1,8 + 32
= 86 graus Fahrenheit.
Converter grau Fahrenheit em grau
Celsius:
Faz-se a operação inversa; valor do grau Fahrenheit – 32 (ponto de
congelamento da água na escala Fahrenheit)) / 1,8 (diferença de uma escala para
outra). Exemplo: Suponhamos que a temperatura de um lugar seja de 86 graus
Fahrenheit. Para saber qual a temperatura em grau Celsius usa-se a seguinte
fórmula: 86 – 32 / 1,8 = 30 graus Celsius.
Por que a temperatura varia?
A temperatura
varia de lugar para lugar e de tempos em tempos, porque ela está sujeita �
influência dos fatores climáticos, que são: Latitude          Altitude
Pressão atmosférica          Massas de ar          Relevo          Vegetação
Maritimidade          Continentalidade          Correntes marítimas
Umidade do ar
Vejamos como estes fatores climáticos
influenciam na temperatura:
Latitude
Latitude é a distância, em graus,
de um lugar ao equador. Já vimos que as regiões da Terra não recebem luz e calor
da mesma forma. A região da linha do equador é a que mais recebe, portanto é a
mais iluminada e aquecida. Então quanto mais nos afastarmos do equador, menor
será a temperatura.
Exemplificando:
Manaus, no Amazonas, fica
próximo do equador, portanto sua temperatura é quente, por volta de 35 graus.
São Paulo, em São Paulo, fica longe do equador, perto do trópico de Capricórnio.
portanto sua temperatura é mais fria, por volta de 30 graus.
CONCLUSÃO-Quanto
mais distante um ponto estiver da linha do Equador mais baixa será a
temperatura.
Altitude
Altitude é a distância, em metros,
de um ponto da superfície até o nível do mar. Ela é  a medida que um ponto está
acima do mar. A  altitude mais baixa é ao nível do mar. Neste ponto faz mais
calor, porque o ar recebe o calor da terra e do mar. Quanto mais alto  for um
lugar mais baixa será a temperatura, porque o ar é mais rarefeito, a
concentração de gases e a  umidade são  menores, portanto retém menos o calor.
As regiões litorâneas sofrem menos a  variação de temperatura do que as regiões
interiorâneas, porque sofrem  o controle do calor da terra e do mar.
Conclusão:
Quanto mais alto for o lugar mais frio ele será.
Pressão atmosférica

Pressão atmosférica é o
peso do ar sobre todos os corpos da Terra, é a força causada pelo ar sobre a
superfície da Terra. A pressão atmosférica recebe a influência  da latitude, da
altitude e da temperatura e por sua vez  influência no clima. Vejamos como a
pressão atmosférica é influenciada pelas latitude, altitude e temperatura.

Latitude na pressão atmosférica
A  pressão atmosférica é
influenciada pela latitude porque o peso do ar é diferente nas diferentes
latitudes. Na latitude zero, na linha do Equador,  o ar é  quente, portanto
leve, o que faz com que  exerça pouca pressão (pouco peso  do ar). Nos trópicos
o ar é mais fresco, portanto mais pesado,exercendo  maior pressão (mais peso do
ar) e nos círculos polares o ar é  gelado, portanto muito pesado, fazendo com
que sua pressão seja  maior(mais peso do ar).
Conclusão: A pressão atmosférica
é  e maior nas latitudes mais altas.
Altitude na pressão atmosférica
Altitude é a distância, em metros,
de um ponto da superfície até o nível do mar. A  altitude mais baixa é ao nível
do mar, portanto é onde há maior quantidade de ar sobre os corpos,  maior peso
de ar. Conclusão: A pressão atmosférica é maior ao nível do mar, e .menor em
altas altitudes.
Temperatura na pressão atmosférica
A  pressão atmosférica é
influenciada pela temperatura  porque o peso do ar  é diferente  nas diversas
temperaturas. Para entender esta influencia é preciso lembrar que o ar quente é
leve e o ar frio é pesado. Nas regiões quentes o ar é quente, portanto leve,
então nas regiões quentes o ar tem menos peso,  consequentemente a pressão
atmosférica é menor. Nas regiões frias, como o ar frio é pesado, a pressão
atmosférica é maior porque o ar frio tem mais peso.
Conclusão: A pressão
atmosférica é menor nas regiões quentes e maior nas regiões frias.
Resumindo, a pressão atmosférica é menor nas baixas latitudes, nas altas
altitudes e nas regiões quentes, e maior nas altas latitudes, nas baixas
altitudes e nas regiões frias

Influência da Pressão  atmosférica

A
latitude, a altitude e a temperatura influem na pressão atmosférica, portanto a
pressão atmosférica influi no clima dependendo  da latitude, da altitude e da
temperatura do lugar  onde se encontra. Essas variações e diferenças da pressão
atmosférica determinam, ao longo do ano, os centros de altas e de baixas
pressões e, conseqüentemente, a circulação atmosférica, como a variação dos
ventos, as mudanças de temperatura e o regime de chuvas.

Massas de ar
Mais uma vez é  bom lembrar
que o ar quente é leve e o ar frio é pesado  e,  como o  ar frio  é pesado ele
tende a descer e  o ar quente,  que é leve, tende a subir. Ai começa um um
processo contínuo: O  ar   frio desce  e, como nas baixas altitudes o ar é
quente, ele esquenta e sobe, então o ar quente, que subiu, esfria nas altas
altitudes e desce, fazendo um  vai e vem  que forma o vento, portanto vento é  o
ar em movimento. Como o vento   é massa de ar  em movimento, concluimos que as
massas de ar influem no clima de um lugar porque elas podem ser quentes ou
frias.
Conclusão:  A massa de ar fria provoca a trovadas e esfria a temperatura
e a massa de ar quente provoca nevoeiros  e esquenta a temperatura.
Relevo
Relevo é aquilo que se sobressai na
superfície terrestre, formando as diferenças de nível entre um lugar e outro. O
relevo pode facilitar ou dificultar a circulação das massas de ar, influindo na
temperatura, pois as serras podem, por exemplo, de acordo com sua posição,
facilitar a passagem de uma determinada massa de ar e dificultar a passagem de
outra. No Brasil, por exemplo, as serras no Centro-Sul do país formam  uma
“passagem” que facilita a circulação da massa polar atlântica e dificulta a
massa tropical atlântica, portanto nesta região a temperatura é mais frias.
Conclusão: O relevo é o canal das massas de ar que modificam o clima.
Vegetação
A vegetação impede a incidência
da penetração dos raios solares na superfície terrestre, portanto nos locais
onde há muita vegetação os raios solares não aparecem muito o que torna o local
mais fresco. Somente as florestas equatoriais são quentes , porque ficam na
linha do Equador e, úmidas, porque nestas regiões chove muito , sendo um
exemplo de floresta equatorial  a Floresta Amazônica. Nas regiões desérticas,
onde não há vegetação, o calor é intenso.
Conclusão:  A temperatura do ar é
maior nas regiões sem vegetação e menor nas regiões com muita vegetação.
Maritimidade
Maritimidade é a
característica das  grandes massas de água  de absorver mais rapidamente os
raios solares e se aquecer do que o solo, assim como, também, possuem a
característica de resfriar mais lentamente que o solo (ou seja, elas retêm calor
por mais tempo) . A retenção de calor nas águas oceânicas atinge grandes
profundidades e isto   faz  com que as temperaturas permaneçam altas mesmo �
noite, por que o processo de resfriamento do calor retido no período diurno
acontece de forma lenta. Isto acaba influindo no clima das regiões costeiras,
fazendo com que a temperatura do ar durante o dia é à noite não varie e, que a
temperatura anual seja estável,não variando muito entre o verão e o inverno.
Conclusão: A temperatura do ar é alta e constante nas proximidades do mar.
Continentalidade
Continentalidade é a
característica das grandes massas de ar de se aquecerem demoradamente   e se
resfriarem rapidamente, sobre as superfícies terrestres. Longe do mar, durante a
noite todo o calor absorvido durante o dia é perdido muito rápidamente, então,
as temperaturas noturnas são mais baixas que as diurnas. A temperatura anual
também recebe esta influência, portanto o verão e o inverno sofrem uma grande
variação. Conclusão A temperatura do ar é variável no interior dos continentes.

Correntes marítimas ou oceânicas
Mais de
metade do calor transportado à volta do planeta é realizado pelos oceanos que,
por esse motivo, representam a parte mais importante do sistema de controle do
clima terrestre. Isto acontece porque as águas de superfície dos oceanos estão
em constante movimento. Quando  as águas oceânicas em movimento seguem uma
direção razoavelmente constante  são chamadas  correntes oceânicas ou marítimas.
As correntes marítimas têm sua origem na circulação dos ventos na superfície e
pelo movimento de rotação da Terra. Cada corrente marítima  apresenta as mesmas
características físicas (temperatura, salinidade, cor, direção, densidade), mas
variam entre si. Elas  podem acumular uma grande quantidade de calor e, assim,
influenciar as massas de ar que a  elas  se sobrepõem e as terras por onde
passa. A direção das  correntes variam de acordo com a localidade em que se
apresentam no globo. As correntes do hemisfério Norte parecem correr em sentido
horário e as do hemisfério Sul, ao contrário, parecem  correr no sentido
anti-horário, porque são influenciadas pela ilusão de ótica vista dos polos. No
equador, por este ser equidistante dos pólos, o efeito é imperceptível, ou seja,
não se observa a deflexão dos objetos em movimento. As correntes quentes
formam-se na zona intertropical, próxima à Linha do Equador, e movimentam-se em
direção às zonas polares. As correntes frias formam-se nas zonas polares e
movimentam-se em direção à região equatorial. Conclusão: As correntes marítimas
quentes fazem o clima mais quente e as correntes frias fazem o clima mais frio.
As principais correntes marítimas são as de Humboldt, do Golfo, do Brasil, do
Labrador, Norte-Atlântica, das Guianas, Falklands, entre outras.
Umidade do ar
Umidade do ar é o nome dado
ao vapor de água existente na atmosfera, que varia conforme a temperatura e a
pressão do clima. Quando o ar está saturado (cheio) de umidade ele provoca
alterações na atmosfera, fazendo surgir os nevoeiros, a neblina, o orvalho, a
geada, a chuva, a cerração, etc. Conclusão: O ar mais úmido provoca mudanças nos
fenômenos climáticos, porque a umidade precisa ser liberada.

Higrômetro
A umidade do ar não é visível,
para medi-la necessita-se de um aparelho chamado higrômetro (não confundir com
hidrômetro). Na figura abaixo temos a amostra de um termômetro para medir a
temperatura do ar, um barômetro, que mede a pressão atmosférica e um higrômetro
para medir a umidade do ar. A temperatura, a pressão e a umidade do ar são
elementos que influem no tempo e no clima.

Os comentários estão encerrados.